Barricada é uma prática coletiva que propõe pensar proximidade como estratégia de defesa e o estar juntos como uma posição política.

 

Uma figura coreográfica na qual um conjunto de corpos encadeados se articula e desarticula para marcar um momento no tempo e no espaço, e questionar noções de autonomia e resistência. Uma arquitetura de corpos firme e porosa, que interrompe fluxos, desloca identidades e fricciona fronteiras.

 

O nome barricada refere-se às táticas populares de insurreição que surgiram no século XVI, estruturas únicas e improvisadas que são construídas como um movimento de confronto, mas também funcionam como um espaço de proteção para uma determinada comunidade.

 

As barricadas são estruturas essencialmente coletivas, feitas de aglomeração improvisada de qualquer material, que deixam suas funcionalidades para formar um organismo único e plural.

 

O projeto Barricada vem sendo desenvolvido pelo coreógrafo Marcelo Evelin e a Plataforma Demolition Incorporada, desde Janeiro de 2019 nos contextos abaixo mencionados:

 

ISAC – Instituto Superior das Artes Coreográficas – Bruxelas, Bélgica (Janeiro 2019).

 

Museu Reina Sofia  - Centro de Estudios de Posgrado – Madri, Espanha (Fevereiro a Maio 2019). Com a colaboração de Tulio Rosa.

 

CND/ Camping – Centro Nacional de Dança – Paris, França (Junho 2019)

 

Universidade Shikoku Gakuin – Zentsuji, Japão (Agosto 2019)

 

Porto Iracema das Artes – Curso Técnico de Danca – Fortaleza, Brasil (Outubro 2019)

 

Residencia Demolition Incorporada – Campo Arte Contemporânea – Teresina, Brasil (Novembro 2019)

 

Festival NIDO – Rivera, Uruguai (Dezembro 2019)

ISAC - Institut Supérieur des Arts et Chorégraphies - Centrale Museum - Bruxelas

Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia - Madri

CND - Centre National de la Danse - Paris

Shikoku Gakuin University - Zentsūji, Kagawa, Japão