AMANHÃ VAI SER UÓ (Ensaio geral para a comissão de frente de um tempo sombrio) | 30/04/2016

May 2, 2016

 

 AMANHÃ VAI SER UÓ
(Ensaio geral para a comissão de frente de um tempo sombrio)

 

Diante de tudo o que estamos vivendo nesse momento de Brasil, entre indignidade e estupefação, entre falência da ética e carência de qualquer sentido, só nos resta resistir, ou insistir, para quem sabe re-existir mesmo que com propósitos turvos e esperanças natimortas. Nesses tempos sinistros, ainda nos resta a possibilidade de organizar nosso pessimismo em ações que vigorem para além de feitos, e que possam vir a oxigenar os pulmões de alguma sensibilidade lúcida. Ações que ressoem no sensível translúcido, sensível que embora inebriado, ameaçado, estilhaçado por tiroteios cegos e balas perdidas, constituem o nosso enigma de porvir. E do meio da descrença e do enfraquecimento de nossas possibilidades reais de arrebatamento, o que nos resta é o outro, o aquele e a aquela, o mais do mesmo, o singular plural, os outros e sempre os mesmos, aqueles que ainda não conheço mas a quem já dei a minha palavra.

 

O CAMPO está organizando um encontro informal para juntar pessoas e propósitos em torno do que se passa conosco, nesse sábado dia 30 de abril entre `as 16 e 22h. Nossas portas estarão abertas para quem quiser chegar a qualquer hora, para se misturar, sugerir, falar, escutar, cuspir, dançar, pensar, modificar, expor, desabafar ou simplesmente estar presente.

 

Traga seu saco e sua gaita, um sorriso e um sonho, um medo e uma vontade, uma decepção e uma dúvida, ou o completo sentimento de impotência diante do que lhe afeta e viola a capacidade de continuar existindo. Traga o fragmento de uma dança ou um poema, uma ideia ou uma contradição, um rabisco de manifesto ou um mapa do tesouro, um recorte, uma arma pacífica, um amigo, uma comida, um fetiche, uma memória que possa explodir, um desejo que possa vingar, um grito que possa ecoar sem nem ter saído. Colabore para a desarticulação do esquartejamento da carne e para a desestabilização dos rompantes de fúria. Junte-se a nós nesse ato de desobediência civil a favor de uma democracia ampla e abrangente, e pela restituição do estado de direito do cidadão.

 

 

 

fotos: Valério Araújo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fotos Mauricio Pokmn